Ruivas, Louras & Morenas

domingo, 30 de novembro de 2008
Há uns tempos atrás fizeram-me um reparo que, na altura, me pareceu merecedor de resposta rápida, mas que, e após meditação, até se tornou interessante e a valer alguma contestação às minhas próprias convicções.
A pergunta foi:
- Só bebes cervejas boas?
Esta questão encerrava em si várias questões:
- Classificas sempre favoravelmente as cervejas?
- As cervejas que bebes são todas boas?
- Omites as cervejas que consideras…menos interessantes?
Seria mais por esta última, a resposta então dada. Isto é, na altura considerava que às más cervejas não deveria fazer publicidade. Depois de reflexão, e como já disse, inflecti na opinião, embora na sua essência, continue a pensar que a resposta não é totalmente desadequada.
Como explicar? Por um lado há que ter em conta os gostos dos outros. As cervejas que possa considerar inadequadas ou desinteressantes, podem ser as “melhores do mundo” para outros amantes cervejeiros. Veja-se que não nutro grande apreço pelas macro-lagers e estas são seguramente as mais bebidas em todo o mundo. Trata-se então de uma questão de respeito para com o gosto alheio.
Por outro lado, e também por uma questão de respeito, haveria que referir as “tais” para que quem me lê pudesse ficar de sobreaviso. Em resumo, uma questão com duas vertentes opostas, mas paradoxalmente, com um desiderato comum.
Face às conclusões, resolvi a partir de hoje referenciar algumas das cervejas que, na minha opinião são negligenciáveis, e que, a serem degustadas por alguns de vós, tenho (quase) a certeza que não trarão grande felicidade a quem se sentir tentado por elas, a não ser que a companhia compense as lacunas das ditas (normalmente, os amigos compensam todas as lacunas)
Uma nota só: não esperem é descrições exaustivas, uma vez que não lhes encontro méritos que mereçam muitos trabalhos


***************


Começo por uma das tais macro-lagers daquelas que se fabricam um pouco por todo o mundo, esta feita em Marrocos. As virtudes dela…vagas. Pode-se dizer que se deixa beber com facilidade, que o seu ligeiro amargor a torna uma companhia razoável numa tarde de grande calor: Nada portanto que a distinga de centenas de outras lagers.
Casablanca - **********

Cervejeira: Brasserie du MarocVol/Alc: 5% Abv
Ano: 2007
Tipo: Macro-Lager
Copo: Stange ou Pilsner Glass



***************


Esta vem de Cuba e “rotulada“ de…forte.
Bom, para uns meros 5,4% Abv, penso exagerada a adjectivação, mas enfim, o pormenor não me parece importante, não fora ser ele utilizado no nome da própria cerveja. E quanto a virtudes, estamos conversados: as palavras que serviram para a Casablanca, servem para a Cubanero. Numa prova cega...não as distinguiria

Cubanero Fuerte - **********

Cervejeira: Cerveceria Bucanero, CubaVol/Alc: 5,4% Abv
Ano: 2007
Tipo: Macro-Lager
Copo: Stange ou Pilsner Glass


Etiquetas: ,

 
posted by Vic at 11/30/2008 09:49:00 da tarde |


5 Comments:


At 2 de dezembro de 2008 às 16:40, Blogger JC

Meu caro, e pq não uma classificação, como é corrente para os vinhos, do tipo 0-10 ou 0-20? Sim, sei que é sempre um pouco redutor, mas é de apreensão rápida.
Abraço

 

At 2 de dezembro de 2008 às 21:59, Blogger VdeAlmeida

Meu Caro JC

Se reparar, no fim de cada apreciação aparece uma fila de estrelas. É uma escala de 1 a 10 que pretendi evidente mas que, pelos vistos, não consegui :-) .
O número de estrelas a vermelho corresponde à classificação de cada cerveja.
Está explicada a aparente lacuna

Abraço

 

At 3 de dezembro de 2008 às 00:17, Blogger Embracing Darkness

Ví Cubanero a la venta recientemente, pero no me dio muy buena espina y al final me decidi por Super Bock Stout... y por lo que veo hice bien.

Buena entrada, y un saludo!

 

At 3 de dezembro de 2008 às 14:51, Blogger JC

Ok, mea culpa!!! já vi.

 

At 10 de dezembro de 2008 às 18:02, Blogger Pivní Filosof

Ya que nadie se ha hecho cargo y pecando de mucha falta de originalidad, la invitación ha sido hecha para "La Ronda #7"
Na Zdraví!