Ruivas, Louras & Morenas

segunda-feira, 28 de abril de 2008
Esta Pietra é sem dúvida, uma cerveja que desperta alguma curiosidade, especialmente depois de se ler no rótulo, tratar-se de uma cerveja de castanha. Mas, ao que se lê, há uma pequena região da Alta-Córsega donde é originária a Pietra chamada Castagniccia, cujo nome já quer dizer alguma coisa. Ora, nada mais natural que cada um usar a matéria-prima que lhe está mais á mão, e foi o que fizeram os cervejeiros corsos da brasserie Pietra, que já aqui havia referido a propósito da Colomba, uma “blanche” de boa qualidade.
Também no rótulo, recomenda-se a sua degustação bem fresca, e foi o que fiz.
A espuma é mediana e pouco persistente, e a cerveja apresenta uma cor acobreada bonita. Os aromas a castanha são notórios logo na decantação, e acompanham o gosto a maltes e bem frutado, e sem vestígios etílicos, até porque, neste aspecto, a cerveja é bem moderada, nos seus 6% Abv. O fim de boca é ligeiramente amargo, mas sem excessos e a carbonatação no ponto ideal.
Não sendo uma cerveja extraordinária, esta “dark lager” é bem agradável e companhia recomendada para os dias estivais.
Por fim, direi que não sendo um grande fã das cervejas francesas (exceptuando talvez as de “garde”), as que me têm chegado da Córsega têm-me surpreendido pela positiva.
Pietra - **********



Cervejeira: Brasserie Pietra, Corsega, França
Vol/Alc: 6% Abv
Ano: 2007
Tipo: Darl Lager
Copo: Pilsner Glass



A Cerveja para Principiantes (5) - As Ale (3)


As Ale que se seguem, ou melhor, a “família” de Ale que se segue, é bastante apreciada, e nos últimos anos, graças à dedicação e inovação, nomeadamente por parte de alguns cervejeiros nórdicos e norte-americanos, tem engrossado muito a legião de indefectíveis.
Stout - Para alguns, stout significa “Guinness” e, por associação de ideias Irlanda. Ora esta será uma visão extremamente pobre das multiplas variedades de stout que se podem apreciar.
Resumidamente, poder-se-á definir “a stout” como uma cerveja de espuma generosa, perene e cremosa, corpo muito escuro, a roçar o negro, e aromas e sabores intensos a maltes tostados. Mas como referi, há uma gama muito variada de “stouts”, e são pormenores importantes, o que as diferenciam.
Parece-me que para o “novato” nestas coisas, é mais importante saber distinguir uma lager de uma stout, que uma milk stout de uma chocolat stout. No entanto, aqui se mencionam algumas das características de cada uma:
- Irish Stout (dry) - A Guinness é o protótipo. Seca, como a designação refere, sabor marcado a café.
- Milk Stout (também designada por cream stout) - Contém lactose na sua composição, o que a torna extremamente suave e nutritiva. Excelente exemplo: St. Peters Cream Stout
- Chocolate Stout - Assim chamada porque se utilizam maltes aromatizados, como o chocolat malt, e por vezes utilizando mesmo algumas porções de chocolate na sua elaboração. Bom exemplo: Young’s Double Chocolat Stout.
- Oatmeal Stout - Cerveja a que se adiciona aveia. Um tipo de cerveja actualmente muito apreciado, e que quase desapareceu durante a primeira metade do século XX. O uso da aveia dá-lhe uma espessura inigualável, e os sabores a chocolates e cafés são pujantes. Exemplos: Young’s Oatmeal Stout, Broughton Oatmeal Stout.
- Imperial Stout - A conhecida “Russian Imperial Stout”. Trata-se de uma stout forte, originalmente feita em Inglaterra e tendo como destino a corte dos Czares, daí o seu nome. O elevado grau alcoólico exibido - algumas vezes a ultrapassar os 12% Abv - destina(va)-se a aguentar a longa viagem e a vencer as agruras dos climas gélidos. Corpo muito escuro, quase opaco e intensa presença de maltes torrados. Uma cerveja bem radical. Bons exemplos: Samuel Smith Imperial Russian Stout, Nils Oscar Imperial Stout, Nogne Imperial Stout.
- Porter/Baltic Porter - Não há diferenças significativas entre uma porter e uma stout. Existe mesmo uma corrente de opinião que não as diferencia, e muitas vezes as cervejeiras utilizam um ou outro nome para estabelecer uma ordem em relação ao grau alcoólico das suas cervejas. Exemplos de porters: Baltika 6, Olfabrikken Porter, St. Peters Honey Porter, Fuller’s London Porter.
- Oyster Stout - Pois é, pelos vistos mistura-se mesmo uma mão cheia de ostras durante a fermentação desta stout. E acompanha muito bem um prato dos referidos bivalves. Muito escura e amarga. Exemplo: Marston’s Oyster Stout.
O próximo post, encerrará o capítulo das Ale

Etiquetas: ,

 
posted by Vic at 4/28/2008 02:16:00 da tarde |


6 Comments:


At 28 de abril de 2008 às 19:23, Blogger Tan

Nossa adorei o seu blog, tem muita coisa legal sobre cerveja.
Eu adoro cerveja Ale, pois acho que o sabor mais forte é bem agradável ao paladar.
E essa cerveja da foto parece ser muito boa.
Sempre vou passar por aqui para saber mais sobre cervejas importadas.
Abraço

 

At 28 de abril de 2008 às 19:31, Blogger Chela

Me gusta la Pietra, es una de esas cervezas extrañas que en su formula añaden un toque personal y tradicional( no se desde cuando se hace pero es interesante).En este caso la castaña le da un algo particular.

Sobre las ales te dejé un comentario acerca de los estílos de ale ingleses haber que te parece y cambiamos opiniones.Se te ve lo pro belga una vez más hehehehehehe ni una triste foto de ale británica pusiste hehehehehe.


Este capítulo de Porter y Stout es muy bueno aunque disiento bastante en lo de que las porter y las stout no tienen casi diferencias.Yo creo que las tienen y muchas. Para ello te invito a visites la Historia de esta cerveza que publiqué hace unos meses en el blog de CAAC. A ver que te parece y comentamos.

Por último decirte que la Baltika 6 a pesar de ser una Porter es de fermentación baja. Muchas cerveceras del Báltico, optaron por hacer su versión lager de las porter stout que durante tanto tiempo importaban de UK. Creo que salimos ganando porque hace que el estílo recobre vida y gane en matices.
Haya Salud

 

At 28 de abril de 2008 às 21:51, Blogger rodrigo

Se a lei de pureza alemã vigorasse em todo o mundo, certamente esse não seria seu centésimo post.. heheh
Muito bonita a cor dela.
Abraço

 

At 29 de abril de 2008 às 15:47, Blogger VdeAlmeida

Tan

Todos são bem vindos :-)
Abraço

 

At 29 de abril de 2008 às 15:54, Blogger VdeAlmeida

Amigo Chela

Trouxe esta Pietra de Espanha, já no ano passado. Nunca mais a vi à venda por lá. É curioso, que da 1ª vez que a bebi, não me agradara muito, mas desta gostei. Talvez o "envelhecimento" a tenha favorecido.
Quanto às Ale inglesas, já te respondi noutro lado, eheheh
Já em relação ás Porter e Stout, digo-te que terás razão. Mas como já referi, pensei em fazer desta Cerveja para Principiantes um resumo e não uum trabalho exaustivo.
Como saberás, a muita controvérsia que existe sobre as diferenças entre stouts e porters reside no facto de muitas cervejeiras fazerem hoje cervejas que denominam stout, com a receita de antigas porters. Mas essa é uma discussão muito longa, e que ficará para quando eu terminar esta pequena iniciativa.

Cheers!

 

At 29 de abril de 2008 às 16:47, Blogger VdeAlmeida

É mesmo Rodrigo. :-)
Por isso ninguém a respeita já.

Abraço