Ruivas, Louras & Morenas

sexta-feira, 9 de maio de 2008
Ao que parece, os nossos amigos espanhóis chamam “meme” às chamadas “correntes” que tão má fama gozam por cá, mas que a quase ninguém resiste a continuar. Digo que não sou nada apreciador das ditas, mas esta até é curiosa, e ao mesmo tempo, contribui para divulgar hábitos, e é sempre bom estabelecermos paralelos entre as nossas diferentes culturas.
Ora este, fala da forma como, num bar ou restaurante, pedimos uma cerveja.
Na verdade, não sou muito frequentador de bares - sou-o mais de restaurantes, mas mesmo desses, de forma moderada, pelo que fica explícito que sou intrinsecamente um consumidor caseiro - mas creio estar familiarizado com a gíria habitualmente usada, nomeadamente na região de Lisboa.
Quando se pede uma cerveja de pressão, normalmente aquela que é servida em copos de 20 cl, pedimos um “fino” ou uma “imperial”, sendo este, creio que um termo mais ou menos generalizado em todo o país. Se a sede for maior, podemos sempre pedir uma “caneca” (meio litro), ou uma “girafa” (um litro). Este último termo, suponho ter origem na velha cervejaria Portugália, embora não o possa afiançar.
Actualmente, em alguns luares onde a cerveja é tratada com mais algum cuidado, já há formas de as pedir distintas das anteriores, pelo que o termo “tulipa” também é usado quando se quer, por exemplo, uma Bohemia á pressão, e normalmente a medida é de 30 cl.
Em relação à cerveja de garrafa, é certo que se se quiser uma de 20 cl, a inefável mini, é assim mesmo que é pedida: uma “mini” (habitual visitante de uma aldeia da beira anterior, não raras vezes vi estas cervejas serem pedidas utilizando o termo “menina”, o que tem alguma lógica, pois que é velha a associação cervejas/mulheres). A cerveja de tara corrente, 33 cl, é habitualmente chamada de “média”, ou pelo nome próprio. Como o mercado é escasso, normalmente diz-se: “Quero uma Sagres”. Ou: “Quero uma Super.Bock”.
Portanto, e como se verifica, não impera a imaginação, e nem as variedades são tantas que dêem azo a tal.

Etiquetas: , ,

 
posted by Vic at 5/09/2008 11:58:00 da manhã |


4 Comments:


At 9 de maio de 2008 às 14:25, Blogger Chela

Amigo Vitor, la foto es espectacular que tipo de cerveza es? tiene muy buena pinta.Y el vaso es muy guapo.

Sabía que ibas a mencionar los minis, algo que me gusta tan poco como nuestros quintos. Como ves portugueses y asturianos usamos el mismo término para los 33cl....

AH las canecas!!!!! cuantas canecas de sagres e de superbock tomé en mi primer viaje iniciático por la bella tierra lusa. Corría el año 99 y...bueno no voy a empezar con el once upon a time in Portugal porque entonces no acabo.Sólo decir que de aquel primer viaje me quedó para siempre la admiración por tu pueblo.

Haya salud y canecas jejejejejeje

 

At 10 de maio de 2008 às 18:58, Blogger Tan

Você falou um dia no meu blog que aí Chopp só de garrafa, mas o termo que você usou Cerveja de Presão é o nosso famoso Chopp. hehehe E esse chopp escuro da foto deve ser ótimo.
Abraço !

 

At 12 de maio de 2008 às 14:38, Blogger VdeAlmeida

Amigo Chela

Esta é uma weizendunkel da Lusitana. A Lusitana é uma pequena cadeia de cervejarias que faz a sua própria cerveja, que por sinal, não é nada má. Têm uma pils, uma stout, outra Black&tan, a Weiss, a já referida weissendunkel, uma de abadia, e uma sazonal. Posso dizer, que como não sou frequentador habituual, não conheço todas as variedades, pelo que não me posso pronunciar sobre elas.
Infelizmente, acho que só têm cervejarias aqui na zona de Lisboa.

Um abraço.
Cheers

 

At 12 de maio de 2008 às 14:40, Blogger VdeAlmeida

Tan,

É verdade isso. O chopp em garrafa de que falava no seu blog, era o da Brahama.
Mas pensava que só chamassem chopp às "lourinhas" e esta é mais morena, o que me agrada mais, ehehhe

Abraço