Ruivas, Louras & Morenas

sexta-feira, 2 de maio de 2008
Nada como espalhar uma dúvida, mesmo que ténue sobre alguma coisa, para despertar o interesse das gentes, nela. Ou então, acentuar-lhe uma peculiaridade que a torne muito invulgar. E porque não, um toque de misticismo?
Ora nestas coisas de despertar a curiosidade do publico para os seus produtos, os cervejeiros da Bosteels, de Buggenhout, não brincam em serviço e a realidade, é que estando a sua produção restringida a três cervejas, qualquer delas é merecedora de atenção especial.
De uma delas, a Deus, esplêndida cerveja brut, já aqui falei sobejamente.
Chega agora a vez desta Triple Karmeliet, que se anuncia como sendo, na sua elaboração, utilizados nada menos que três cereais: o trigo, a aveia e a cevada. Dir-se-ia então que se ostenta Triple no nome, graças a essa complicada combinação de cereais. Mas não só. A cerveja sofre também uma tripla refermentação na garrafa. Pode-se então dizer que merece duplamente o Triple.
Mas esta soberba cerveja merece mais que a simples divulgação de uma conjugação de factores que lhe dão nome. A prova demonstra que a associação dos cereais é perfeita, e que em Buggenhout as experiências, dão invariavelmente resultados notáveis, tal como já se tinha concluído em relação á Deus.
Vertida, a espuma alvíssima, é exuberante, cremosa e duradoura, e o líquido apresenta-se dourado, bonito. Uma carbonatação média, como eu aprecio. Os aromas são adocicados, a frutos maduros e o sabor é complexo. Naturalmente, a junção dos três cereais, tem aí um papel essencial. Bem condimentada, de corpo robusto, percorre e ocupa todos os cantos da boca que tem o prazer de a degustar. E permanece, teimosa e intensa. Etílicamente poderosa - 8%Abv - nunca na prova tal se denuncia. O que é mais uma prova da perfeição da cerveja.
E assim, das cervejas da Bosteels, resta somente por avaliar a Kwak, aquela cervejinha que costuma ser servida num estranhíssimo copo. Brevemente, brevemente…

Triple karmeliet - **********



Cervejeira: Brouwerij Bosteels, Buggenhout, Bélgica
Vol/Alc: 8% Abv
Ano: 2007
Tipo: Abbey Triple
Copo: Tulip



A Cerveja para Principiantes (6) - As Ale (4)


Witbier - Cerveja de trigo de um amarelo pálido, quase a chegar ao branco, translúcidas e de acentuado sabor a limão, o que conjugado com uma carbonatação intensa, as torna extremamente refrescantes e agradáveis. Grau alcoólico normalmente entre os 5 e os 7% de Abv. Excelentes exemplos: Hoegaarden, Colomba, Blanche de Namur.
Berliner Weissbier - Também de trigo, de um dourado pálido, turvas e de espuma cremosa mas pouco persistente, são frutadas e também muito refrescantes. Exemplo: Bahnhof Brau Berliner Weisse
Hefeweizen
- Uma cerveja de trigo muito apreciada, originária do sul da Alemanha, não filtrada e turva, de um dourado pálido, sabores intensos a frutas frescas, boa carbonatação, e espuma exuberante. Servida habitualmente em copos de 0,5l, e como as precedentes, trata-se de uma cerveja muito refrescante. Excelentes exemplos: Scneider Weisse, Erdinger Weissbier, Franziskaner Hefe-Weisser.
Dunlelweizen - Semelhante à precedente, mas de cor escura graças aos maltes (excelentes) que são usados, e um amargo ligeiro, o que, aliado aos sabores marcadamente frutados, as torna também muito apreciadas. Derivada deste tipo de cerveja, há a Weizenbock, uma dunkelweizen mais alcoólica. Exemplos a testar: Edelweiss Dunkel Weissbier, FranzisKaner Hefe-Weisse Dunkel, Erdinger Weissbier Dunkel
Deixo aqui uma nota importante: os tipos de cerveja acima mencionados são relativamente fáceis de encontrar em Portugal. Poderá haver melhores que as mencionados como exemplo, e essas só são apontadas, mercê da boa possibilidade de poderem ser testadas por cá, ao contrário de outras, de qualidade eventualmente super
ior .
Biére de Champagne/Brut - Originária da Bélgica, este é um tipo de cerveja muito recente, e que teve, desde logo, uma grande aceitação. É sujeita a uma longa maturação em caves, e algumas delas, passam parte desse período na região francesa do Champagne, onde são submetidas ao método champanhês, que retira todas as leveduras das garrafas.
Tão carbonatadas como um bom champanhe, apresentam-se habitualmente da mesma forma, em garrafas de 0,75 l., são servidas muito frescas e geralmente possuem um elevado grau alcoólico. Excelentes exemplos: DeuS (Brut de Flandres), Malheur Biére Brut, Malheur Cuvée Royale
Biére de Garde - Cerveja de cor dourada ou acobreada, e de teor alcoólico moderado, é geralmente rica em aromas maltados e a frutas frescas, corpo robusto, e como o nome indica, é propícia a armazenamento para posterior consumo. Muito popular na zona norte de França e Bélgica, são bons exemplos: St. Sylvestre 3 Monts, Jenlain Original French, La Choulette Ambrée.
Bitter - Douradas a acobreadas, são tipicamente britânicas, muito leves e pouco gaseificadas. De sabor suave e baixo grau alcoólico, são na maior parte das vezes, servidas do barril. Exemplo: Charles Wells Bombardier, Young’s Bitter, Brackspear Bitter.
Flemish Sour Ale - Flamenga, é uma daquelas cervejas “difíceis“, com sabores a “chegarem-se” muitas vezes ao avinagrado, e que requer, portanto, alguma habituação, ou educação do palato. De cor avermelhada, medianamente etílicas - entre os 6 e os 8% Abv - são muito complexas de sabores. É uma cerveja que não reúne consensos, que, ou se ama, ou se detesta. Exemplos: Rodenbach Gran Cru, Duchesse de Bourgogne, Rodenbach Vin de Cereale.
Saison/Farmhouse Ale - Uma cerveja que era habitualmente fermentada no Inverno, para ser consumida no Verão. Sabores marcados de frutas, tendem porém a ser secas. Muito boas, tomadas como aperitivo. Exemplos: Saison Dupont, Fantôme Saison, Saison de Pipaix.
De seguida, dá-se conta de outros tipos de ale, menos comuns, e algumas mesmo muito difíceis de encontrar, outras, muito semelhantes a algumas atrás descritas:
Amber Ale, Cream Ale, Scotch Ale, Brown Ale, Traditional Ale, Wood Aged Ale, Gose, Rye Beer, Roggenbier, Kristalweizen, Gooseberry Ale, Spiced Ale, Old Ale, Adam Bier e uma ou outra que me pode ter falhado, e que se alguém notar, agradeço mo indiquem que acrescentarei.


Etiquetas:

 
posted by Vic at 5/02/2008 10:33:00 da manhã |


9 Comments:


At 2 de maio de 2008 às 15:09, Blogger Edson Costa

Grande cerveja esta... Tive oportunidade de a provar um destes días enquanto esperava pelo final da brassagem de uma cerveja que estava a fazer.
Excelente texto também... Mais uma vez parabéns pelo teu excelente blog!
Abraço

 

At 4 de maio de 2008 às 20:35, Blogger galvao99

A minha preferida, e com mercado em Portugal.

A Kwak tambem é excelente.

 

At 6 de maio de 2008 às 12:52, Blogger VdeAlmeida

É verdade, Edson. É uma excelente cerveja
Abraço

 

At 6 de maio de 2008 às 12:53, Blogger VdeAlmeida

Galvão99

Não sendo a minha preferida, entendo a tua preferênciam uma vez que é uuma excelente cerveja.
a Kwak vem a seguir...

 

At 6 de maio de 2008 às 20:43, Blogger galvao99

É a minha preferida, tendo em conta o reduzido lote de cervejas que tive oportunidade de degustar. Acredito que se provasse a Westvleteren ou a Rochefort ficasse fã. Quem sabe um dia..

 

At 6 de maio de 2008 às 21:47, Blogger Chela

Adoro esta cerveza que tan bien describes. Tu artículo hace que entren ganas de tomarse una ya!!!

Karmeliet es una de esas maravillas en forma de cerveza que te sorprenden a cada trago. Está llena de matices, con un equilibrio frutal increiblemente satisfactorio. Esos tres cereales están combinados de manera magistral( y eso que la avena es muy dificil de tratar a la hora de hacer cerveza). Y la presentación, tanto la de la Botella de 3/4 pintada como la copa serigrafiada es de premio lo que la hace más llamativa aún. Highly recommended que diría un antiguo profesor mio

Haya salud

 

At 8 de maio de 2008 às 15:44, Blogger VdeAlmeida

Claro, Galvão99. Continuamos a ter poucas marcas e variedades.
Mas mesmo que conhecesses muuitas mais, estouu certo que esta continuaria a ser das tuas preferidas.
Cheers!

 

At 8 de maio de 2008 às 15:46, Blogger VdeAlmeida

É mesmo muito boa, amigo Chela. E o "trabalho" de conjugação dos 3 cereais é notável.
O copo é soberbo. Pena que não conste dos que tenho :-)
Abraço

 

At 6 de julho de 2009 às 11:11, Blogger the beer spot

Grande escolha,os meus parabens aos meu colegas desta bebida maravilhosa em especial ao Victor de Almeida Peres pela sua prestação na divulgação da loja THE BEER SPOT no algarve.Caro Victor não se esqueça que tenho a maredsous de 8º e de 10º na loja que infelizmente na questão on line não se encontra a funcionar ainda por culpa destes programadores incompetentes.Meus caros amigos um grande abraço.