Ruivas, Louras & Morenas

quarta-feira, 6 de agosto de 2008
Dos Yankees, pode-se esperar tudo: desde uma desculpa esfarrapada para começar uma guerra, demonstração cabal que os princípios são difíceis de perder, e é assim que a lei da bala continua a ser preponderante na sua cultura, até à mais calorosa recepção a um estranho, e uma educação acima de qualquer suspeita.
O mesmo se poderá dizer da sua cultura cervejeira, que sobe dos abismos do mau gosto com a sua Bud, até aos cumes gloriosos alcançados por esta fantástica Anchor Porter.
Se há coisas que, no mundo da cerveja, me surpreendem, uma das mais persistentes é o estranho desfalecimento das “porter” durante um largo período do século XX. Com efeito, e segundo rezam as crónicas, durante esse nefasto período que antecedeu as iniciativas de recuperar a respeitabilidade cervejeira, muitas receitas de “porter” deixaram de ser produzidas, e e destas, um número significativo não voltaram a ver a luz do dia.
Essa estranheza acentua-se mais quando nos é apresentada uma cerveja deste quilate. Como é possível que um estilo de cerveja como este tenha estado em risco de desaparecimento.
Os méritos desta cervejeira de San Francisco são muitos, a começar pela inovativa Anchor Steam Beer, sem paralelo em qualquer parte do mundo, mas sobretudo por duas cervejas “tostadas” de antologia, e que, assemelhando-se no aspecto, não poderiam divergir mais no conteúdo. Ponto comum: a excelência. Falo, naturalmente, da Old Foghorn, a que aqui já fiz referência, e a agora aqui presente.
De gola média e de um beje cremoso que, durante a degustação, vai deixando anéis no copo, o líquido apresenta-se em tons muitos escuros, e os aromas que ressaltam, soberbos, são de maltes achocolatados, aromas adocicados a lembrar algumas “cream stout”.
E se os aromas prometem, os sabores não deslustram, pelo contrário, correspondendo em maltes e chocolates, adicionando um pouco da doçura da fruta fresca, talvez mesmo um assomo de banana, atingindo matizes licorosos. Mas a complexidade da cerveja acaba por dificultar o total discernimento dos sabores presentes.
Para dizer a verdade, gosto muito mais de partilhar convosco a essência de cada cerveja, se é boa ou menos boa, ou mesmo excepcional - como é o caso - do que desfiar o escalpelamento completo da bebida, coisa que qualquer um pode ler num dos muitos sites de cerveja onde se fazem análises exaustivas às diferentes marcas, imagino que por verdadeiros peritos desta arte, coisa que decididamente não sou. Na hora de provar a nobre bebida, a minha racionalidade e frieza são poucas, e resta-me transmitir-vos a emoção.
Que foi intensa quando ensaiei a Anchor Porter.


Anchor Porter - **********



Cervejeira: Anchor Brewing Company, Usa
Vol/Alc: 5,6% Abv
Ano: 2007
Tipo: Porter
Copo: Goblet


Etiquetas: , ,

 
posted by Vic at 8/06/2008 03:45:00 da tarde |


7 Comments:


At 6 de agosto de 2008 às 16:49, Blogger rodrigo

Bela cerveja e bonita garrafa também!!! Esses americanos, sempre nos surpreendendo.

Abraços

 

At 15 de agosto de 2008 às 19:30, Blogger Chela

Amigo Víctor, cómo estás? me gustaría, en nombre del amigoDelirium que es quien invita, informarte de que ya puedes ver elTema de la ronda #3. Tenemos hasta el 29 de este mes para publicarlo.

Así mismo, independientemente de la Ronda, el Amigo Max propuso que considerar Agosto como el mes de la cerveza de Sesión. A través de CAAC anunciamos tal propuesta y nos gustaría invitarte a participar también de ello.

Haya Salud

 

At 19 de agosto de 2008 às 10:32, Blogger Chela

Los Estados Unidos, desde hace más de 25 años, son algo más que majors sin sabor tipo Bud, coors, miller y compañía....El boom de la cerveza artesanal, el movimiento que empezó en los 80 con las denominadas Microbreweries( algunas de ellas mayores que nuestras industriales)se ha consolidado y ofrecen cervezas de una calidad y una variedad verdaderamente notables.

Por otro lado otras compañías que estuvieron a punto de desaparecer, fueron compradas y levantadas gracias al esfuerzo y tesón de veraderos amantes de la cerveza.El caso más famoso es el de Anchor Breweries, a punto de cerrar, fué adquirido por y relanzada al mercado con gran sacrificio pero buenos resultados.

De Anchor pudimos tomar la porter y la steam beer hace un par de meses y sin duda son cervezas que no dejan indiferente. Son de una tremenda calidad, equilibradas, plenas en sabores y matices. realmente increibles.

Uno de los resultados de la industria independiente yankee es el resurgimiento de estílos y la reinterpretación de los mismos. Así imperial stouts, miik stouts e incluso porters, se producen con la particular visión americana con gran éxito. Por otro lado las IPA se convierten en una explosión de amargores aromáticos gracias al uso del dry hopping con lúpulos americanos propios(muy florales). LA DIPA, la double IPA y la APA, la American Pale Ale, se reinventan en cervezas fuertes, de más de 7% con un amargor intenso que las hace muy peculiares e interantes.Left hand, Full Sail, Stone Breweries y Sierra Nevada Brewinf Co. Son las que más me sorprendieron este año y cervezas todas ellas totalmente recomendables.

Haya Salud

 

At 20 de agosto de 2008 às 19:47, Blogger VdeAlmeida

Mesmo muito boa, amigo Rodrigo

Abraço

 

At 20 de agosto de 2008 às 19:49, Blogger VdeAlmeida

Amigo Chela

Tenho andado ausente, mas corresponderei com prazer aos desafios, mesmo não sendo um grande "session man", ehehehe!
Verei se amanhã já poderei apresentar um texto decente.

Abraço

 

At 21 de agosto de 2008 às 13:25, Blogger Boak

Tambien os recomendaria "Liberty Ale" de Anchor, es una de mi favoritas. Si os gusta la porter, os recomendaria Fullers London Porter, probablamente mi cerveza favorita en el mundo.

Por cierto - es mejor que deje comentarios en espanol o en ingles?
(Por supuesto, seria mejor que escribiera en portugues...)

 

At 21 de agosto de 2008 às 19:34, Blogger VdeAlmeida

Amigo Boak

Inglês ou espanhol, escreve como quiseres!
Também gosto da Liberty Ale. Aliás, as Anchor são todas boas.