Ruivas, Louras & Morenas

sábado, 19 de julho de 2008
Regressado de férias...
Nestes dias de Verão - que este ano tem estado longe, em termos de temperaturas, das antigas canículas (ah! Os últimos dias têm sido excepção) - apetece pouco a preguiçosa permanência frente à TV. Dá-me mais para um passeio à beira Tejo, e um pouco de leitura numa qualquer esplanada, à sombra, e de preferência, sossegada…mas sempre acompanhado pela fervilhante bebida.
Confesso a minha pouca simpatia por locais barulhentos, mas diga-se em abono da verdade, que Lisboa não é pródiga em sítios sossegados, onde se possa degustar uma boa cerveja. Já aqui referi a República da Cerveja, que peca muitas vezes por excesso de lotação e consequente ruído. Poderei acrescentar a Delidelux, de situação privilegiada, mas pouco acessível, dada, não só a grande afluência de clientes em relação à exiguidade do espaço, e os preços pouco convidativos. Mas sempre se pode beber uma boa Leffe Blonde ou uma excelente Gulden Draak, a acompanhar um dos meritórios carpaccios da carta.
Mas um dos meus sítios mais habituais é a Taberna do El Corte Inglês, mesmo que a envolvência seja repreensível: situada numa cave - sem “sightseeings“, portanto - também algo barulhento, e…acessível a fumadores. Mas gosto do atendimento, e a cerveja é agradável. Apesar da arte cervejeira de nuestros hermanos não ser muito superior à nossa, na Taberna serve-se a Estrela Damm ou a Bock Damm, as cervejas de Barcelona, uma lager e uma bock …normais, digamos, que serve perfeitamente de acompanhamento ao pratinho de batatas fritas - o ECI é dos poucos sítios onde ainda é “oferecido” um acompanhamento - ou uns pintxos de presunto de belota ou de queijo manchego.
É verdade que a Damm não é nada de excepcional, mas por qualquer razão inexplicável, proporciona-me sempre um prazer extra, nas visitas ao ECI.
A propósito, devo referir que, a nível de restauração (“ligeira”, que o ECI não é de grandes requintes), o nosso, o de Lisboa, é bem superior aos que conheço em terras de Cervantes. E repare-se que já conheço os de Madrid e Barcelona - deduzo que sejam os maiores - o que deve querer dizer alguma coisa

Etiquetas: , ,

 
posted by Vic at 7/19/2008 05:17:00 da tarde |


2 Comments:


At 25 de julho de 2008 às 09:58, Blogger Chela

Amigo Victor, como estás? por lo que veo y leo disfrutando de los placeres "a la española" que ECI te ofrece.Me gusta Bock Damm. No me gusta que use el nombre Bock porque está lejos de serlo, le pasa como a la superbock stout que de stout no tiene nada jejejejee.Como schwartzbier me parece que está bien, tiene equilibrio, toques a caramelo, malta tostada, ligero amargor, dulzor que se nota pero no domina. De entre las negras españolas quizás sea la más destacable junto con Mahou negra. Me alegro que hayas podido disfrutar de ella.

Por otro lado, me gustaría recordarte que hoy es en día de publicación de la Ronda #2, aquella en la que yo invito con la pregunta ¿Cerveza o cervecería? y en la que estaría muy feliz si pudieras participar con tu siempre interesante punto de vista

Um Abraço

Haya Salud

 

At 28 de julho de 2008 às 20:10, Blogger VdeAlmeida

Amigo Chela

É verdade que a Bock não é bem uma Bock, eheheh. mas aprecio-a na mesma. Ainda no último fim de semana me entretive com uma a acompanhar uns pinxos de boquerones e de morcela com chutney de ananás!

Abraço