Ruivas, Louras & Morenas

quarta-feira, 20 de agosto de 2008
Vê-se que estamos em tempo de férias, embora o verão já não seja o de outros tempos. Mas aquela preguiça que se manifesta sempre por estas alturas, volta sempre, teimosa.
Bom, a verdade também, é que as novas experiências cervejeiras não têm abundado, e são elas que dão sentido a este cantinho. No entanto, há algumas novidades dignas de menção.
- Graças às informações preciosas dos meus “companheiros de luta” do Cervejas do Mundo, conheci um sítio com uma carta de cervejas um tudo nada melhor que a da generalidade dos bares ou cervejarias lisboetas. Trata-se do Bar Ogâmico, e fica ali à Rua da Palmeira, junto ao Príncipe Real.
Ali, das 17h às 01h00, pode-se experimentar o vinho quente, as tostas, algumas sandes, sopas, nada de extravagante. Quanto às cervejas, destacam-se algumas belgas - Chimay‘s, Bush Ambrée, Gordon‘s Finest Scotch, algumas Lambic - a omnipresente Guinness e pouco mais. Optámos pela Orval e pela Kasteel, mas infelizmente a primeira estava esgotada. A segunda escolha recaiu numa Timmeman Framboise.
O bar é sossegado, a música ambiente, muito lounge, autoriza-nos a conversa e o serviço é simpático. De resto, nada a assinalar em abono ou desabono. Refiro no entanto, que de entre as cerca de 20 cervejas diferentes constantes na carta, mais de metade não estavam disponíveis, o que dá uma certa ideia de pouco entusiasmo em relação à iniciativa. Oxalá não acabe a servir só Sagres ou SB.
- O site Beers of the World (http://www.beers-mag.com/) deu a conhecer a eleição das melhores cervejas do ano. Como noutras votações do género, o resultado final pode ser muito discutível, mas…é assim mesmo.
Assim:
- Melhor Lager - Primator Exkluziv, 16%
- Melhor Ale - Triple Karmeliet
- Melhor Stout/Porter - Rogue Shakespeare Stout
- Melhor Wheat Beer - Kaltenberg Konig Ludwig Weissbier
Não conheço as premiadas nas categorias de Lager e Stout/Porter, pelo que me referirei só às outras duas. Já aqui falei sobre ambas, e se não me surpreendeu o prémio atribuído à Konig Ludwig, que também é a minha “wheat” preferida, já em relação à Karmeliet - que é sem dúvida uma das minhas Tripel favoritas - fiquei de certo modo surpreendido. Na verdade, e dadas as preferências que tenho visto manifestadas em muitos sítios em relação a cervejas de Abadias ou Trapistas, não deixa de ser curioso ser um produto de uma fábrica, digamos assim, civil, a ganhar uma votação deste género.

*****/////*****


Entretanto, num destes dias decidi-me a abrir uma Gouden Carolus D’Or - Cuvée Van de Kaiser. Posso dizer que esperava muito desta cerveja. Mas poderei desde já acrescentar, que ela excedeu todas as expectativas.
A garrafa de 75 cl, vem bem apresentada e alerta de forma bem visível para o “peso” da cerveja: 11º de Abv. Vertida num dos meus copos mais usados, caiu compacta, grande gola cremosa e perene, corpo muito escuro e quase oleoso. Grande bouquet, com aromas florais fundindo-se com maltes torrados, e mesmo alguma fruta madura. O sabor, exótico e complexo, toma por completo conta das papilas e de todos os cantos da boca, escorrendo pela garganta, mas permanecendo durante muito tempo por todo o caminho, deixando sinais acentuados de frutas e …álcool, podendo-se dizer, que no fundo, a De Kaizer quase se assemelha a um whisky escocês, embora o aspecto seja mais o de um bom licor.
Para rematar, poderei acrescentar que esta cerveja demonstra como é difícil elegermos as melhores cervejas. É que aparece sempre uma disposta a entrar para o nosso Top.


Cervejeira: Browerij Het Anker, Bélgica
Vol/Alc: 11% Abv
Ano: 2007
Tipo: Belgian Strong Dark Ale
Copo: Goblet


Etiquetas: ,

 
posted by Vic at 8/20/2008 07:14:00 da tarde |


3 Comments:


At 21 de agosto de 2008 às 09:52, Blogger Delirium

Hola compañero.

Tengo problemas para leer mucho texto en portugués, así que espero haberlo entendido bien. Es una lástima el abandono en la carta de cervezas. Creo que eso sucede porque, aunque las intenciones en principio fuesen buenas, el público no respondió como se esperaba.

Da la casualidad de que, habiendo regresado de Praga, sí que he podido probar Primátor Exkluziv. Forma parte de toda una serie de cervezas de distintas graduaciones que la cervecera ha sacado al mercado, con gran acierto. No es la más representativa de las cervezas de Praga pero sí que es una gran elección. Desde luego, el amigo Max te podrá decir mucho más acerca de ella.

La que no he probado es la Gouden Carolus D’Or que comentas. Y parece que es una lástima.

Un saludo!

 

At 21 de agosto de 2008 às 19:38, Blogger VdeAlmeida

Olá Delirium

Assim nos vamos entendendo. Também tenho algumas dificuldades, com o espanhol, mas lá vou deduzindo quando não sei alguma palavra, eheheh.
Tenho a viagem a Praga na agenda. Veremos se então provarei a Primator :-)
Abraço

 

At 26 de agosto de 2008 às 17:58, Blogger alfacinha

Estou encantado pelo seu blog, é uma coisa memorável num país de vinhos excelentes existem portugueses que adoram as cervejas belgas de fermentação alta.
Cumprimentos de Antuérpia