Ruivas, Louras & Morenas

sábado, 19 de janeiro de 2008
Faço hoje a reaparição neste espaço, após uma breve lacuna originada pela preguiça que estes dias outonais absolutamente deslocados no tempo me fazem sempre sentir, e desde já o meu acto de contrição, que os meus visitantes mereciam mais.
Para as minhas experiências no campo cervejeiro é que não há preguiça que resista, e, portanto, têm continuado.
Mas deixem-me dizer primeiro que a minha aventura poderia ter horizontes mais alargados se, como fazem alguns dos meus companheiros no fórum das Cervejas do Mundo, me dedicasse à elaboração de cerveja própria. Contudo, em relação a esta questão, sinto-me bastante dividido: se por um lado gostava de um dia me aventurar por esses caminhos, por outro, acho que não conseguiria suportar o suspense sobre o que sairia dali, durante os dias de espera. Penso que para eles deve ser quase como esperar um filho - perdoe-se o exagero - só que um pouco mais complicado, porque no caso do filho, com a tecnologia moderna, ao fim de certo tempo já se sabe se é menino ou menina, mas no caso da cerveja, acho que os meus amigos cervejeiros estão sempre na dúvida sobre o resultado final, pelo menos nas primeiras experiências.
Devo acrescentar que, pelo que conta quem tem provado - e são “degustadores” de total confiança - as experiências têm resultado em produtos de alta qualidade, o que me faz ainda mais lamentar a impossibilidade - temporal, espero - de me deixar tentar pela aventura da “cerveja caseira”.
Mas como não vale a pena chorar sobre o leite derramado, resta-me esta vertente, que é a de ir conhecendo sempre novas (para mim, obviamente) cervejas, e devo dizer que é coisa que me dá muito prazer.
Um dos tipos de cerveja que mais me agrada é a “Dunkel”, já o disse aqui, e esta da foto, é uma delas. E embora não a inclua na elite das minhas mais que tudo, é uma cerveja muito agradável, com um acentuado sabor a chocolate como é habitual neste tipo de cerveja, mas bem balançado, com um teor amargo vincado no ponto, demonstrativo de equilíbrio. Como é hábito, o teor alcoólico não é elevado - andará pelos 5º Abv - o ideal para estas cervejas de meio litro.
Foi bebida bem fresca, e soube bem. Portanto, mais uma boa hipótese de companhia para uma tarde de Verão. Ou de Outono, como foi o caso.
Weltenburger Kloster Dunkel - **********



Etiquetas:

 
posted by Vic at 1/19/2008 04:54:00 da tarde |


2 Comments:


At 24 de janeiro de 2008 às 18:24, Blogger rodrigo

Parece deliciosa essa cerveja, mas o que me encantou mesmo foi o rótulo dela.. muito bonito!!
Parabens pelo blog!!!
Abraço

 

At 25 de janeiro de 2008 às 12:28, Blogger VdeAlmeida

Rodrigo,

O rótulo é bastante bonito sim, mas a cerveja é mediana
Grato em tê-lo por cá

Abraço